• Bruna Tincani - Endocrinologia Pediátrica Adulto e Infantil - Campinas/SP
  • Bruna Tincani - Endocrinologia Pediátrica Adulto e Infantil - Campinas/SP
  • Bruna Tincani - Endocrinologia Pediátrica Adulto e Infantil - Campinas/SP
  • Bruna Tincani - Endocrinologia Pediátrica Adulto e Infantil - Campinas/SP

Obesidade Infantil - Como Diagnosticar?

Você sabia que o valor do índice de massa corporal infantil, diferente do que ocorre com os adultos, depende da idade e sexo da criança e deve ser inserido num gráfico para determinar se está normal ou alterado?

Crianças Nascidas Pequenas para a Idade Gestacional

Crianças nascidas pequenas para a idade gestacional (PIG) tem a prevalência variando entre 9 a 15% nos países em desenvolvimento incluindo o Brasil. No nosso país a frequência é maior nos estados do sul e do sudeste, sendo possível que este aumento esteja associado a um aumento do índice de partos cesareanos.
As possíveis causas de nascimento PIG podem ser condições patológicas da mãe como Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial Sistêmica, tabagismo, uso de drogas ilícitas, doenças placentárias, ou doenças fetais, como cardiopatias congênita, mal formações, síndromes genéticas, dentre outras.

Durante o crescimento fetal, um importante fator de crescimento é a insulina. No feto que está se desenvolvendo com restrições nutricionais, a glicose é direcionada para orgãos vitais e “desviada” de tecidos não vitais, com consequente restrição ao crescimento.

Após o nascimento, o prejuízo do crescimento é recuperado na maioria das crianças até os dois anos de idade. A altura se recupera mais precocemente, muitas vezes já aos 5 meses de idade, com o peso demorando um pouco mais.

No entanto, em cerca de 10% das crianças não ocorre essa recuperação, principalmente entre as crianças nascidas prematuras, aquelas com síndromes genéticas, aquelas com retardo de crescimento intra-uterino mais grave, com comprimento menor que dois desvios-padrão, ou com baixa estatura familiar.

Em relação às indicações do uso de GH para ganho de altura final, após os 2 anos, podem ser beneficiados com seu uso crianças com altura menor que -2,5 desvios-padrão ou velocidade de crescimento abaixo do percentil 25, afastando-se doenças crônicas. O FDA americano usa critérios semelhantes aos brasileiros, sendo que a Europa é mais conservadora em relação ao uso de GH, indicando GH apenas entre crianças com mais de 4 anos de idade. Essa indicação mais tardia na Europa se baseia no achado de normalização da altura entre os 2 e 4 anos em um subgrupo de crianças nascidas PIG.

O GH é um hormônio contrarregulador, e seu uso nesses pacientes poderia em tese levar a piora da resistência insulínica e perfil metabólico por si só. Porém, já foi demonstrado que em adultos que usaram GH durante a infância para esta indicação, o HDL e a Pressão Arterial não foram piores que no grupo sem GH, com homeostase da glicose semelhante.

É importante avaliar as repercussões do nascimento PIG para a obesidade e síndrome metabólica na fase adulta. Nessas crianças a preocupação em evitar o ganho de peso acelerado deve ser ainda maior, sendo estimulado o aporte nutricional adequado para a recuperação do crescimento porém evitando a hiperalimentação, incluindo o estímulo ao leite materno.

Consulte um especialista!


Referencia: http://www.blog.endocrinologia.org.br/?p=298