Diabetes em crianças

LOCAIS DE APLICAÇÃO DE INSULINA

locais_insulina

DIABETES

O que é?

O diabetes descoberto na infância é diferente do diabetes que aparece nos adultos.
O diabetes da criança é o tipo 1 e se caracteriza pela falha na produção de insulina.
A insulina é responsável por levar a glicose (açúcar) do sangue para as células do corpo. Na falta da insulina os níveis de glicose do sangue (glicemia) ficam altos, o que causa os sintomas do diabetes.

  • CANSAÇO FÁCIL
  • MUITA SEDE
  • EMAGRECIMENTO
  • AUMENTO DO APETITE
  • URINA AUMENTADA

Há Cura?

O DM 1 até então é irreversível. Estudos de transplante de pâncreas, etc, ainda não conseguiram resultados viáveis, porém há tratamento para a doença. hoje em dia consegue-se uma boa qualidade de vida, podendo continuar com as atividades normais do dia-a-dia, como escola e atividade física.

Como Tratar?

O único tratamento de sucesso atualmente é com insulina, sendo sempre subcutânea (injetável). Os dispositivos podem ser por seringa de insulina, que é o mais disponível no SUS, por canetas aplicadoras ou bombas de infusão contínua.

A insulina que nosso corpo produz é apenas um tipo, e ela tem ação imediata mediante alimentação. Mesmo quando estamos em jejum ou dormindo, nosso pâncreas produz insulina para equilibrar os níveis de glicose no sangue que estão constantemente sendo liberados pelo fígado.

Portanto, quando uma pessoa diagnostica o diabetes, ela precisa usar a insulina basal (que tem ação constante durante todo o dia) e a insulina bolus, que tem ação rápida para cobrir as refeições.

Há diversas marcas de insulina e isso deve ser avaliado em consultas presenciais. Porém sempre tento indicar canetas que possuem opção de 0,5 unidade, uma vez que em crianças pequenas essa dose faz diferença.

As bombas de infusão contínua de insulina são uma ótima opção para os pacientes que já manejam bem os conceitos de contagem de carboidratos, tempo no alvo e fator de sensibilidade! Termos que uso muito nas consultas e nos vídeos.

Existem bombas sem fio (patch pump) ou bombas com fio. E existem bombas acopladas aos sensores de medir glicose intersticial, que auxiliam na redução de hipoglicemias. Tenho pacientes usando as marcas nacionais e também marcas internacionais destes dispositivos.

Glicemias capilares e intersticiais

É a principal maneira de saber como está o controle do diabetes. Sempre devem ser realizadas antes das refeições, para calcularmos a dose da insulina a ser administrada. E, outros horários, a critério médico.

É fundamental entender a diferença entre elas para que não haja erro de interpretação. Sempre a mais fidedigna é a medição no sangue (ponta de dedo).

Alimentação

É importante o paciente ter rotina. Se alimentar em horários regulares sempre que possível. Não apenas pelo diabetes, mas sim para ter um bom hábito de vida.

Alimentos ricos em carboidratos (ex doces, frutas, pães, arroz, batata, macarrão) sobem mais a glicemia, porém não devem ser excluídos da dieta!

Lembrar que as opções mais naturais e as farinhas integrais são preferíveis.

O seguimento conjunto com um nutricionista educador em diabetes, que tenha conhecimento de contagem de carboidratos, é fundamental.

Hipoglicemia

Considerada quando a ponta de dedo esta abaixo de 70.

Lembrar que se estiver usando um sensor de glicose intersticial, deve ser medida a ponta de dedo.

Sintomas

  • PELE PÁLIDA
  • DOR DE CABEÇA
  • FRAQUEZA
  • FOME
  • TREMOR
  • SUDORESE
  • VISÃO TURVA
  • CAMBALEANDO
  • TONTURA
  • CONFUSO

Como tratar

  • Suco ou refrigerante não diet = 120 mL
  • Mel = 1 colher de sopa
  • Açúcar = 4 colheres de chá
  • Balas = 3 balas macias

DIABETES

Diabetes em crianças

O que é?

O diabetes descoberto na infância é diferente do diabetes que aparece nos adultos.
O diabetes da criança é o tipo 1 e se caracteriza pela falha na produção de insulina.
A insulina é responsável por levar a glicose (açúcar) do sangue para as células do corpo. Na falta da insulina os níveis de glicose do sangue (glicemia) ficam altos, o que causa os sintomas do diabetes.

  • CANSAÇO FÁCIL
  • MUITA SEDE
  • EMAGRECIMENTO
  • AUMENTO DO APETITE
  • URINA AUMENTADA

Há Cura?

O DM 1 até então é irreversível. Estudos de transplante de pâncreas, etc, ainda não conseguiram resultados viáveis, porém há tratamento para a doença. hoje em dia consegue-se uma boa qualidade de vida, podendo continuar com as atividades normais do dia-a-dia, como escola e atividade física.

Como Tratar?

O único tratamento de sucesso atualmente é com insulina, sendo sempre subcutânea (injetável). Os dispositivos podem ser por seringa de insulina, que é o mais disponível no SUS, por canetas aplicadoras ou bombas de infusão contínua.

A insulina que nosso corpo produz é apenas um tipo, e ela tem ação imediata mediante alimentação. Mesmo quando estamos em jejum ou dormindo, nosso pâncreas produz insulina para equilibrar os níveis de glicose no sangue que estão constantemente sendo liberados pelo fígado.

Portanto, quando uma pessoa diagnostica o diabetes, ela precisa usar a insulina basal (que tem ação constante durante todo o dia) e a insulina bolus, que tem ação rápida para cobrir as refeições.

Há diversas marcas de insulina e isso deve ser avaliado em consultas presenciais. Porém sempre tento indicar canetas que possuem opção de 0,5 unidade, uma vez que em crianças pequenas essa dose faz diferença.

As bombas de infusão contínua de insulina são uma ótima opção para os pacientes que já manejam bem os conceitos de contagem de carboidratos, tempo no alvo e fator de sensibilidade! Termos que uso muito nas consultas e nos vídeos.

Existem bombas sem fio (patch pump) ou bombas com fio. E existem bombas acopladas aos sensores de medir glicose intersticial, que auxiliam na redução de hipoglicemias. Tenho pacientes usando as marcas nacionais e também marcas internacionais destes dispositivos.

Glicemias capilares e intersticiais

É a principal maneira de saber como está o controle do diabetes. Sempre devem ser realizadas antes das refeições, para calcularmos a dose da insulina a ser administrada. E, outros horários, a critério médico.

É fundamental entender a diferença entre elas para que não haja erro de interpretação. Sempre a mais fidedigna é a medição no sangue (ponta de dedo).

Alimentação

É importante o paciente ter rotina. Se alimentar em horários regulares sempre que possível. Não apenas pelo diabetes, mas sim para ter um bom hábito de vida.

Alimentos ricos em carboidratos (ex doces, frutas, pães, arroz, batata, macarrão) sobem mais a glicemia, porém não devem ser excluídos da dieta!

Lembrar que as opções mais naturais e as farinhas integrais são preferíveis.

O seguimento conjunto com um nutricionista educador em diabetes, que tenha conhecimento de contagem de carboidratos, é fundamental.

Hipoglicemia

Considerada quando a ponta de dedo esta abaixo de 70.

Lembrar que se estiver usando um sensor de glicose intersticial, deve ser medida a ponta de dedo.

Sintomas

  • PELE PÁLIDA
  • DOR DE CABEÇA
  • FRAQUEZA
  • FOME
  • TREMOR
  • SUDORESE
  • VISÃO TURVA
  • CAMBALEANDO
  • TONTURA
  • CONFUSO

Como tratar

  • Suco ou refrigerante não diet = 120 mL
  • Mel = 1 colher de sopa
  • Açúcar = 4 colheres de chá
  • Balas = 3 balas macias

LOCAIS DE APLICAÇÃO DE INSULINA

locais_insulina